DROPS #08 [VERSÃO DUBLADA]

O passadorâmico Eduardo Seabra entrevistou Reza Aslan, professor de Escrita Criativa na Universidade da California, doutor em Sociologia das Religiões pela mesma universidade e autor de Zelota: a vida e a época de Jesus de Nazaré (Zahar, 2013) e Deus: uma história humana (Zahar, 2018). Entre outros tópicos, conversaram sobre os usos políticos da figura de Jesus, o papel das mulheres no cristianismo primitivo, além de personagens como Maria Madalena, Judas e o autoproclamado apóstolo Paulo. Zelota figurou como #1 New York Times Bestseller e Aslan já recebeu o prêmio James Joyce.

PASSADORAMA #06

No nosso primeiro episódio especial de fim de ano, o número #06, Angélica Fontella, Eduardo Seabra, Lorenzo Aldé e Rodrigo Elias conversam sobre um personagem histórico que inspirou narrativas de fé e sustentou relações de poder ao longo de dois milênios: Jesus de Nazaré.

Pauta: Eduardo Seabra

Edição: Eduardo Seabra

Locução: L. C. Csekö

Participação especial:

Reza Aslan (doutor em Sociologia das Religiões pela Universidade da California e autor de Zelota: a vida e a época de Jesus de Nazaré, Zahar, 2013 e de Deus: uma história humana, Zahar, 2018; é professor de Escrita Criativa na Universidade da California).

Cristiano Machado “El Fandásdigo Barba” (Pastor, filósofo e produtor/host do podcast Teologia de Boteco – @TeologiaBoteco).

Dicas:

A bruxa (Robert Eggers, 2015 – Filme)

O Evangelho segundo Jesus Cristo (José Saramago, 2005 – Livro)

Jesus Christ Superstar (Andrew Lloyd Webber and Tim Rice, 1970 – Rock opera album)

Jesus Cristo Superstar (Norman Jewison, 1973 – Filme)

[Monty Python’s] A vida de Brian (Terry Jones, 1979 – Filme)

O primeiro mentiroso (Rick Gervais, 2009 – Filme)

Silêncio (Martin Scorsese, 2016 – Filme)

A última tentação de Cristo (Martin Scorsese, 1988 – Filme)

Músicas:

Referências

ASLAN, Reza. Zelota: a vida e a época de Jesus de Nazaré. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

AUERBACH, Erich. Mimesis: A representação da realidade na literatura ocidental. 5a. Edição. São Paulo: Perspectiva, 2011.

FONTANA, Josep. A História dos Homens. Bauru: Edusc, 2004.

GATHERCOLE, Simon. “What is the historical evidence that Jesus Christ lived and died?”. In The Guardian, 14/04/2017. Disponível em: https://www.theguardian.com/world/2017/apr/14/what-is-the-historical-evidence-that-jesus-christ-lived-and-died

GINZBURG, Carlo. “Ecce: Sobre as raízes culturais da imagem de culto cristã”, in Olhos de Madeira: Nove reflexões sobre a distância. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

HAYES, Christine. Introduction to the Old Testament (Hebrew Bible). (Curso RLST 145). Yale University, 2006. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=mo-YL-lv3RY&list=PLh9mgdi4rNeyuvTEbD-Ei0JdMUujXfyWi

MARTIN, Dale B. Introduction to New Testament. Yale University, 2009 (Curso RLST 152). Disponível em:  https://www.youtube.com/watch?v=dtQ2TS1CiDY&list=PL279CFA55C51E75E0

PAGELS, Elaine. Os Evangelhos Gnósticos. 4a. Edição. Porto: Via Óptima, 2006.

_______________. Revelations: Visions, Prophecy, & Politics in the Book of Revelation. New York: Viking, 2012.

PLATÃO. A República. Introdução, tradução e notas de Maria Helena da Rocha Pereira. 5a ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1987.

PLOTINO. Les Ennéades de Plotin, chef de l’école néoplatonicienne. Tome deuxième. Paris: Librarie de L. Hachette, 1859

O QUE OS HISTORIADORES DIZEM SOBRE A REAL APARÊNCIA DE JESUS. Por BBC. In G1, 28/03/2018. Disponível em: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/o-que-os-historiadores-dizem-sobre-a-real-aparencia-de-jesus.ghtml

SANTO AGOSTINHO. Confissões. Trad. do latim e prefácio de Lorenzo Mammì. São Paulo, Penguin Classics Companhia das Letras, 2017.

SUPER INTERESSANTE. Deus: como a humanidade descobriu seu criador. Brasil, jun. 2017.

VAINFAS, Ronaldo. A heresia dos índios: catolicismo e rebeldia. Rio de Janeiro, Companhia das Letras, 1995.

VEYNE, Paul. Quando nosso mundo se tornou cristão (312-394). Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2011.

*Acesse a nossa linha do tempo: https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn%3Aaaid%3Ascds%3AUS%3A349ad4f7-7652-4c9d-9471-6bb31c70300f

DROPS#04

Passadorâmicos continuam circulando enquanto podem, em busca de luzes para tentar entender o momento sombrio em que o país mergulha. Lorenzo Aldé foi à UERJ para conversar com a cientista política Alessandra Aldé, por acaso sua irmã, professora do Departamento de Comunicação e coordenadora do grupo de pesquisa Tecnologias de Comunicação e Política (TCP), que vem monitorando a campanha eleitoral nas mídias digitais, inclusive grupos de Whatsapp.

Alessandra comenta as novas estratégias de manipulação da desinformação, que vem sendo aplicadas e influenciando nos resultados de eleições de diversos países. No Brasil, o uso maciço de grupos de WhatsApp para disseminação de mentiras torna-se um caso de estudo único, que desafia os pesquisadores. No dia seguinte à entrevista, foi publicada a reportagem do jornal /Folha de S. Paulo/ revelandoo financiamento empresarial para grupos digitais pró-Bolsonaro, e voltamos a procurar a professora Alessandra para comentar a revelação.

Alessandra graduou-se em Comunicação Social (Jornalismo) pela PUC-RJ, fez mestrado e doutorado em Ciência Política no IUPERJ. Entre 2015 e 2016, realizou estágio pós-doutoral junto ao Latin American Centre da Universidade de Oxford. Autora do filme “Arquitetos do poder” (2010), com Vicente Ferraz, documentário de referência sobre o marketing político no Brasil, atualmente Alessandra concentra suas pesquisas em comunicação, tecnologias e cultura política, estratégias persuasivas, comportamento eleitoral e opinião pública.

Os primeiros resultados de seu grupo de pesquisa acabam de ser divulgados pela Agência Pública:
apublica.org/2018/10/grupos-pro…rnet-diz-pesquisa/

Obs.: Agora, você pode ser nossa madrinha ou nosso padrinho. Acesse: www.padrim.com.br/passadorama

Passadorama #00 (Piloto)

Perdidos no tempo

No episódio piloto, Angélica Fontella, Eduardo Seabra e Rodrigo Elias falam sobre as diferentes formas de percepção do tempo e seus impactos no conflagrado cenário político, econômico e cultural dos nossos dias.

Pauta: Rodrigo Elias

Edição: Eduardo Seabra

Locução: L. C. Csekö

Participação especial: Ronaldo Pelli (escritor, jornalista, mestre em Filosofia pela Puc-Rio e ex-editor da Revista de História da Biblioteca Nacional)

Dicas:

Black Mirror (2011- presente – Série)

Click (Frank Coraci, 2006 – Filme)

Downton Abbey (2010-2015 – Série)

Ela (Spike Jonze, 2013 – Filme)

O Maravilhoso Agora (James Ponsoldt, 2013 – Filme)

Sinal Fechado (Paulinho da Viola, 1970 – Música)

Tudo Por um Furo (Adam McKay, 2013 – Filme)

Músicas:

Referências

BARBOSA, Marialva Carlos. Percursos do olhar: comunicação, narrativa e memória. Niterói: EdUFF, 2007.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Trad. Andréa S. de Menezes, Bruna Breffart, Camila R. Moraes, Maria Cristina de A. Silva e Maria Helena Martins. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

NEGRI, Antonio e HARDT, Michael. Declaração – Isto não é um manifesto. Trad. Carlos Szlak. São Paulo: n-1 edições, 2014.

NORA, Pierre. “Entre memória e história: A problemática dos lugares”. Trad. Yara Aun Khoury. Proj. História. São Paulo. (10). Dez. 1993.

SLOTERDIJK, Peter. Ira e Tempo: Ensaio Político-Psicológico. Trad. Marco Casanova. São Paulo: Estação Liberdade, 2012.