DROPS#08 [English version]

Passadorama’s Eduardo Seabra interviews Reza Aslan — a Professor of Creative Writing at University of California, Riverside, holder of a PhD in the Sociology of Religions from the University of California, Santa Barbara, and author of “Zealot: The Life and Times of Jesus of Nazareth” and “God: A Human History”. They discuss, among other subjects, the political uses of the figure of Jesus, the role of women in Primitive Christianity, as well as characters such as Mary Magdalene, Judas and self-proclaimed Apostle Paul. Zealot was #1 New York Times Bestseller. Aslan is also a recipient of the James Joyce Award.

*Você pode ajudar o Passadorama a ficar no ar com qualquer quantia. Vire madrinha ou padrinho da gente! Acesse: www.padrim.com.br/passadorama

DROPS#07

No episódio Drops #07,  apresentamos um programa diferente: o passadorâmico Rodrigo Elias participou do “Voz Ativa” da Rádio Ativo, a rádio universitária da UniCarioca, junto do professor de História e vereador do Rio de Janeiro Tarcísio Motta (PSOL).  Na bancada, também estiveram: os alunos Alexandre Muller, Patrick Amaro e William Faria e a aluna Fernanda Calé, além da professora Carolina Ferro. O tema da conversa foi o cenário político pós-eleições e a ascensão da extrema direita no Brasil.

Você pode ajudar o Passadorama a ficar no ar com qualquer quantia. Vire madrinha ou padrinho da gente! Acesse: www.padrim.com.br/passadorama

PASSADORAMA #05

No episódio número #05, Angélica Fontella, Eduardo Seabra, Lorenzo Aldé, Rodrigo Elias e Thalyta Mitsue conversam sobre o urgente debate opinião x conhecimento. Por que a verdade, o fato, é importante? Qual é o impacto do discurso sobre a vida das pessoas? *Spoiler*: se a sua “opinião” inviabiliza a vida de outra pessoa ou viabiliza a indignidade de sua existência, ela não deve se sobrepor sobre toda uma plural e democrática sociedade.

Pauta: Rodrigo Elias

Edição: Eduardo Seabra

Locução: L. C. Csekö

Participação especial:

Carolina Ferro (doutora em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e autora de “A livraria de D. Duarte (1433-1438) e seus livros em linguagem” para História e Cultura, v. 5, 2016; é professora da Associação Carioca de Ensino Superior (UNICARIOCA), onde supervisiona o Núcleo de Estudos Interdisciplinares em Comunicação (NEICOM) e onde criou a revista Communicatio).

Dicas:

Armados (Rodrigo Mac Niven, 2014 – Documentário)

O Guia Pervertido da Ideologia (Sophie Fiennes, 2012 – Documentário)

Hannah Gadsby: Nanette (2018 – Série)

Muito além do jardim (Hal Ashby, 1979 – Filme)

Rashomon (Akira Kurosawa, 1950 – Filme)

Rebooting democracy: A citizen’s guide to reinventing politics (Manuel arriaga, 2014 – Livro)

O riso dos outros (Pedro Arantes, 2012 – Documentário)

Viracasacas #79 Brasil: educação, ciência e tecnologia – com Daniel Cara (2018 – Podcast)

 

Músicas:

 

Referências

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. Trad. José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

_______________. “Filosofia e política”, in A dignidade da política. 3a. ed. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

BENEDICT, Ruth. O Crisântemo e a Espada. São Paulo: Perspectiva, 1972.

BRUGGER, Winfried. “Proibição ou Proteção do Discurso do Ódio? Algumas observações sobre o Direito Alemão e o Americano”. Revista Direito Público, n. 15. Brasília: Instituto Público brasiliense de Direito Público, Jan-Fev-Mar, 2007. ​

FRANKFURT, Harry. Sobre falar merda. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2005.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

KOSELLECK, Reinhart. Crítica e crise. Uma contribuição à patogênese do mundo burguês. Rio de Janeiro: EDUERJ/Contraponto, 1999.

KUHN, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. 5a ed. São Paulo: Perspectiva, 1997.

MAZA, Carlos; LOWNDES, Coleman; BOONE, Hunter. “Why obvious lies make great propaganda”. Produção do canal Vox. Acessado em 10/09/2018. Disponível em:  https://www.youtube.com/watch?v=nknYtlOvaQ0 

MORETTI, Franco. “A forma trágica como desconsagração da soberania”, in Signos e estilos da modernidade: ensaios sobre a sociologia das formas literárias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

REZENDE, Cláudia Barcellos; COELHO, Maria Claudia. Antropologia das emoções. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

SNYDER, Timothy. Sobre a tirania. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

WALLACE, David Foster. “Isto é água”, in Ficando longe do fato de já estar meio que longe de tudo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

*https://www.vakinha.com.br/vaquinha/interfaces-38-lc-cseko

DROPS#06

No último Drops sobre a eleição do fim do mundo, o passadorâmico Rodrigo Elias conversou com Renato Cajueiro. Professor com mestrado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Cajueiro pesquisou na área de História Política e atua há mais de uma década na rede pública de ensino. Nesta entrevista, confira uma análise sobre a ascensão do neofascismo bolsonarista e os desafios que podem ser enfrentados por professores, professoras e por quem ainda se importa com esse negócio de democracia.

Aliás, você pode ajudar o Passadorama a ficar no ar com qualquer quantia. Vire madrinha ou padrinho da gente! Acesse: www.padrim.com.br/passadorama

DROPS#05

A passadorâmica Angélica Fontella entrevistou a militante da Marcha Mundial das Mulheres e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Mariana Carvalho, que desenvolve a pesquisa “As narrativas emocionais da política nas mídias sociais”. A conversa girou em torno das estratégias de provocação de emoções no marketing eleitoral e do papel das mídias sociais na disseminação de discursos de ódio.

Obs.: Agora, você pode ser nossa madrinha ou nosso padrinho. Acesse: www.padrim.com.br/passadorama

Drops#03

O passadorâmico Eduardo Seabra entrevistou o cientista político Fábio Vasconcellos, professor do Departamento de Jornalismo da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e da ESPM. A conversa foi sobre as eleições de 2018, as surpresas causadas pelas pesquisas eleitorais e o efeito do Whatsapp e das notícias falsas sobre o resultado do primeiro turno das eleições.

Fábio Vasconcellos é especialista em análise e jornalismo de dados. Já realizou trabalhos sobre sobre democracia digital, comportamento eleitoral, opinião pública e representação política. Em 2018, ganhou visibilidade na mídia pela criação da ferramenta interativa “Voto Retrô”, que mostra o comportamento dos candidatos a deputado federal em relação a temas políticos relevantes da atualidade. Seu trabalho pode ser conferido no site fabiovasconcellos.com/, no qual ele também compartilha pesquisas sobre política e dados.

Obs.: Agora, você pode ser nossa madrinha ou nosso padrinho. Acesse: www.padrim.com.br/passadorama

PASSADORAMA #04

No episódio número #04, Angélica Fontella, Eduardo Seabra, Lorenzo Aldé, Rodrigo Elias e Thalyta Mitsue se enveredam pelos corredores dos ministérios da Oceânia e se entorpecem com altas doses de Soma. O tema do mês é Utopias e Distopias. Partimos dos clássicos 1984 (1949) de George Orwell e Admirável mundo novo (1932) de Aldous Huxley para levantar a grande questão: Distopia é ficção?

Pauta: Eduardo Seabra

Edição: Eduardo Seabra

Locução: L. C. Csekö

Participações especiais:

Lara Nogueira da Silva Leal (pós-doutoranda PAPD/FAPERJ do Programa de Pós-Graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (Puc-Rio) e autora de “A carta de marear de Cardoso Pires ou A viagem do escritor em busca de uma linguagem”, Revista Semear, v.11, 2005 e coautora de “Don Gabriel de todas as primaveras” in O intelectual e o espaço público, Editora da UFMG, 2015).

Renato Nunes Bittencourt (professor da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e autor de Verdade, Informação e Esclarecimento Público na Comunicação Social, Mauad X, 2015 e de “George Orwell e o distópico futuro da humanidade perante o poder totalitário” in  Filosofia, Literatura e Cinema: intercessões, Liber Ars, 2011).

 

Dicas:

Branco Sai, Preto Fica (Adirley Queirós, 2014 – Filme)

Brazil: O Filme (Terry Gilliam, 1985 – Filme)

Delicatessen (Marc Caro, Jean-Pierre Jeunet, 1991 – Filme)

O Demolidor (Marco Brambilla, 1993 – Filme)

Eles Vivem (John Carpenter, 1988 – Filme)

A Estrada (John Hillcoat, 2009 – Filme)

Ex_Machina: Instinto Artificial (Alex Garland, 2014 – Filme)

The Future (Leonard Cohen, 1992 – Música)

Idiocracia (Mike Judge, 2006 – Filme)

The Last Man on Earth (Will Forte, 2015-2018 – Série)

The Office (Greg Daniels, Ricky Gervais, Stephen Merchant, 2005-2013 – Série)

Senhor das Moscas (William Golding, 1954 – Livro)

SciCast #232: Fim do Mundo! (29/12/2017 – Podcast)

The Walking Dead (Telltale – Jogo)

 

Músicas:

 

Referências

ADMIRÁVEL mundo novo. Direção de Leslie Libman e Larry Williams. 1998. Filme para TV.

BANDEIRA, Luiza. “Quais os fatos reais que inspiraram The Handmaid’s Tale”in Nexo, 28/11/2017: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/11/28/Quais-os-fatos-reais-que-inspiraram-The-Handmaid%E2%80%99s-Tale.

BAUMAN, Zygmunt. Living in utopia (palestra). 2005. Vídeo disponível em: https://digital.library.lse.ac.uk/objects/lse:vob876pub. Transcrição disponível em: https://www.respekt.cz/respekt-in-english/living-in-utopia.

BRADBURY, Ray. Farenheit 451. São Paulo: Biblioteca Azul, 2012.

BRAGG, Melvyn. Aldous Huxley’s Brave New World. BBC-UK In Our Time, 09/04/2009. Podcast. (45 min.). Disponível em: https://www.bbc.co.uk/programmes/b00jn8bc.  

BRAGG, Melvyn. Utopia. BBC-UK In Our Time, 09/04/2009. Podcast. (30 min.). Disponível em: https://www.bbc.co.uk/programmes/p005462n.

BRAGG, Melvyn. Modernist Utopias. BBC-UK In Our Time, 09/04/2009. Podcast. (45 min.). Disponível em: https://www.bbc.co.uk/programmes/p003k9fz.

COHEN, Leonard. The future (música). 1992.

DANOWSKI, Déborah; CASTRO, Eduardo Viveiros de. Há mundo por vir? Ensaios sobre os medos e os fins. Florianópolis: Desterro, 2014.

FONTENELLE, Isleide Arruda. O nome da marca: McDonald’s, fetichismo e cultura descartável. São Paulo: Boitempo, 2002.

FROMM, Erich. Posfácio in ORWELL, George. 1984. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2009. http://pesquisdemica.blogspot.com/2016/11/erich-fromm-sobre-1984-de-george-orwell.html.

GINZBURG, Carlo. “Matar um mandarim chinês: As implicações morais da distância”, in Olhos de Madeira: Nove reflexões sobre a distância. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

HIGHET, Gilbert. The anatomy of satire. Princeton: Princeton University Press, 1962.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: O breve século XX. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 1995.

HUXLEY, Aldous. Admirável mundo novo. São Paulo: Círculo do Livro, 1989.  

HUXLEY, Aldous. Regresso ao admirável mundo novo. São Paulo: Itatiaia, 2015.

KOSELLECK, Reinhart. “Terror e sonho – Anotações metodológicas para as experiências do tempo no Terceiro Reich”, in Futuro Passado: Contribuição à semântica dos tempos históricos. Trad. Wilma Patrícia Maas e Carlos Almeida Pereira. Rio de Janeiro: Contraponto / Ed. PUC-Rio, 2006.

LEPORE, Jill. “A golden age for dystopian fiction: What to make of our new literature of radical pessimism”, in The New Yorker, 05 e 12 de junho de 2017: https://www.newyorker.com/magazine/2017/06/05/a-golden-age-for-dystopian-fiction.

MANCUSO, Cecilia. “Speculative or science fiction? As Margaret Atwood shows, there isn’t much distinction”in The Guardian, 22/02/2018: https://www.theguardian.com/books/2016/aug/10/speculative-or-science-fiction-as-margaret-atwood-shows-there-isnt-much-distinction.

MORE, Thomas. Utopia. Edição bilíngue. Trad. Márcio Meirelles Gouvêa Júnior. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

OSNOS, Evan. “Doomsday Prep for the Super-Rich” in The New Yorker, 30/01/2017. Disponível em: https://www.newyorker.com/magazine/2017/01/30/doomsday-prep-for-the-super-rich

ORWELL, George. 1984. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2009.

PYNCHON, Thomas. Posfácio in ORWELL, George. 1984. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2009.

POSTMAN, N. Amusing ourselves to death. Londres: Penguin, 2005

SWIFT, Jonathan. Uma modesta proposta para prevenir que, na Irlanda, as crianças dos pobres sejam um fardo para os pais ou para o país, e para as tornar benéficas para a República. 1729. Tradução de Helena Barbas: http://www.helenabarbas.net/traducoes/2004_Swift_Proposal_H_Barbas.pdf; em inglês:   https://files.acrobat.com/a/preview/db8c97a9-64c2-4b08-a2f2-64226583ca50

*Entrevistas:

Dublagem: Angélica Fontella

Tradução: Eduardo Seabra

Aldous Huxley – Trata-se de uma dramatização de Admirável Mundo Novo (1932), narrada por ele, para uma espécie de radionovela da CBS de 1956. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=1etUD_AE59g.

George Orwell – Trata-se de uma dramatização feita para o documentário da BBC George Orwell: A Life in Pictures (Chris Durlacher, 2003), baseada em escritos deixados por Orwell. O documentário é feito como se fosse uma entrevista de verdade da época. Não há registros de gravações de George Orwell em vida. Trecho do documenário disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=JXm5hklbBsA.

**Comercial Soma – Narração de Thaiane Settecerze e L. C. Csekö.

 

Drops#02

A passadorâmica Angélica Fontella entrevistou o psicanalista Christian Dunker, professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP). A conversa foi sobre amor nos tempos de internet e os impactos da idealização do amor romântico.

Dunker é autor de Reinvenção da Intimidade: políticas do sofrimento cotidiano, UBU, 2017 e de Mal-Estar, Sofrimento e Sintoma: uma psicopatologia do Brasil entre muros, Boitempo, 2015. Ele ainda foi vencedor do Prêmio Jabuti 2012 com o livro Estrutura e Constituição da Clinica Psicanalítica, Annablume, 2011.

Obs.: Agora, você pode ser nossa madrinha ou nosso padrinho. Acesse: https://www.padrim.com.br/passadorama

Passadorama #03

Acabou o amor

No episódio #03, Angélica Fontella, Eduardo Seabra, Lorenzo Aldé, Rodrigo Elias e Thalyta Mitsue discutem o amor. As relações amorosas sempre foram do mesmo jeito? O que o amor tem a ver com o capitalismo? Como a literatura do Brasil e do mundo lidou com esse tema? Não tenha medo da modernidade líquida ocidental, aperte o play e se apaixone com a gente (ou não).

Pauta: Thalyta Mitsue

Edição: Eduardo Seabra

Locução: L. C. Csekö

Participações especiais:

Mary Del Priore (professora da Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO) e autora de Beija-me onde o sol não alcança, Planeta, 2015 e de Ao sul do corpo, Condição Feminina, Maternidades e mentalidades no Brasil Colônia, UNESP, 2009. Vencedora do Prêmio Jabuti 1998 pelo livro História das Mulheres no Brasil, Contexto, 1997, que organizou).

Christian Dunker (psicanalista e professor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP) e autor de Reinvenção da Intimidade: políticas do sofrimento cotidiano, UBU, 2017 e de Mal-Estar, Sofrimento e Sintoma: uma psicopatologia do Brasil entre muros, Boitempo, 2015. Vencedor do Prêmio Jabuti 2012 pelo livro Estrutura e Constituição da Clinica Psicanalítica, Annablume, 2011).

 

Dicas:

Blood on the tracks (Bob Dylan, 1975 – Álbum)

As canções (Eduardo Coutinho, 2011 – Documentário)

“A dor não nos matará” In: Como ficar sozinho (Jonathan Franzen, 2012 – Livro)

Easy (2016 – Série)

Eu TU e Ela (2016 – Série)

Fragmentos de um discurso amoroso (Roland Barthes, 2003 – Livro)

O guarani (Jose de Alencar, 1857 – Livro: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000135.pdf)

História sexual da MPB: A evolução do amor e do sexo na canção brasileira (Rodrigo Faour, 2006 – Livro)

A moreninha (Joaquim Manuel de Macedo, 1844 – Livro: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bn000008.pdf)

Novas formas de amar: nada vai ser como antes – Grandes transformações nos relacionamentos amorosos (Regina Navarro Lins, 2017 – Livro)

“The tea maker” (Yoko Ono, 2010 para o The New York Times: https://www.nytimes.com/2010/12/08/opinion/08ono.html)

Vou rifar meu coração (Ana Rieper, 2011 – Documentário)

Wild wild country (2018 – Série documental)

 

Músicas:

 

Referências

ALCOFARADO, Mariana. Cartas  portuguesas. Porto  Alegre, L&PM, 2000.

AMBROSINO, Brandon. “Como foi criada a heterossexualidade como a conhecemos hoje” In: BBC, 11/06/2017: https://www.bbc.com/portuguese/vert-fut-40093671.  

ANDRADE, Carlos Drummond de. “O mundo é grande”. In: Declarações de amor. Rio de Janeiro, Record, 2005.

AUERBACH, Erich. A novela no início do Renascimento – Itália e França. Trad. Tercio Redondo. São Paulo, Cosac Naify, 2013.

BANDELLO, Matteo. Romeu e Julieta. Trad. Claudionor A. de Mattos. São Paulo, Paulus, 1988.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro, Zahar, 2004.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro, Zahar, 2001.

BARTHES, Roland. Fragmentos de um discurso amoroso. São Paulo, Martins Fontes, 2003.

BLOOM, Harold. Shakespeare:  a invenção do  humano. Rio  de Janeiro, Objetiva, 2000.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira, São Paulo, Cultrix, 2006.

FÁBIO, André Cabette. “Como redes de paquera viabilizam mais casais inter-raciais, segundo esta pesquisa”. In: Nexo, 17/10/2017: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/10/17/Como-redes-de-paquera-viabilizam-mais-casais-inter-raciais-segundo-esta-pesquisa.

FÁBIO, André Cabette. “A frequência e os motivos de mentiras em apps de paquera, segundo esta pesquisa”. In: Nexo, 13/05/2018:https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/05/13/A-frequ%C3%AAncia-e-os-motivos-de-mentiras-em-apps-de-paquera-segundo-esta-pesquisa.

FREITAS, Ana. “Por que você está cansado de usar o Tinder” In: Nexo, 11/04/2016: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/04/11/Por-que-voc%C3%AA-est%C3%A1-cansado-de-usar-o-Tinder.

GOULEMOT, Jean-Marie. Esses livros que se lêem com uma mão só: leitura e leitores de livros pornográficos no século XVIII. São Paulo, Discurso, 2001.

LESSA, Fábio de Souza. O feminino em Atenas. Rio de Janeiro, Mauad, 2004.

NOVAES, Adauto. (org.). Os sentidos da paixão. São Paulo, Companhia das Letras, 2009.

REZENDE, Cláudia Barcellos; COELHO, Maria Claudia. Antropologia das emoções. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010. (Foi aqui que encontramos as reflexões de Lutz)

SHAKESPEARE, William. Romeu & Julieta. Edição bilíngue. Trad. Barbara Heliodora. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1997.

SMITH, Aaron; ANDERSON, Monica. “5 facts about online dating”. In: Pew Research Center, 02/08/2018: http://www.pewresearch.org/fact-tank/2016/02/29/5-facts-about-online-dating/

VIVEIROS DE CASTRO, E. e BENZAQUEN DE ARAÚJO, Ricardo. “Romeu e Julieta e a Origem do Estado”, in VELHO, Gilberto (org.). Arte e sociedade. Ensaios de sociologia da arte. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1977.

WATT, Ian. A ascensão do romance. Estudos sobre Defoe, Richardson e Fielding. Trad. Hildegard Feist. São Paulo, Companhia das Letras, 2010.

Drops #01

O passadorâmico Eduardo Seabra foi à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) conversar com o sociólogo João Trajano Sento-Sé. Na pauta: violência e intervenção militar federal.

Sento-Sé é professor da UERJ, onde integra o Laboratório de Análise da Violência, e é coautor de Polícia, segurança e ordem pública. Perspectivas portuguesas e brasileiras (Imprensa de Ciências Sociais, 2012).