Passadorama #01

Fake old news

No episódio número 1, Angélica Fontella, Eduardo Seabra, Lorenzo Aldé, Rodrigo Elias e Thalyta Mitsue falam sobre as “fake old news“. Segundo o dicionário Collins, fake news foi a “palavra de 2017”, mas distorções de histórias sempre existiram… Por que então esse alvoroço nos dias de hoje?

Pauta: Angélica Fontella

Edição: Eduardo Seabra

Locução: L. C. Csekö

Participações especiais:

Bruno Garcia (Mestre em Política Europeia pela Masarykova Univerzita (República Tcheca) e doutor em História pela PUC-Rio)

Marialva Carlos Barbosa (Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e autora de Escravos e o mundo da comunicação: oralidade, leitura e escrita no século XIX, Mauad X, 2016)

Dicas:

Arquitetos do poder (Alessandra Aldé e Vicente Ferraz, 2010 – Documentário: https://www.youtube.com/watch?v=wT9nd_ejs7o)

Corações sujos (Fernando Morais, 2000 – Livro)

Fahrenheit 451 (Ray Bradbury, 1953 – Livro)

Revoltirinhas (Jorge Luiz – página do Facebook @revoltirinhas)

Maus (Art Spiegleman, 2005 – Livro)

Muito além do cidadão Kane (Simon Hartog, 1993 – Documentário)

O dia que durou 21 anos (Camilo Tavares, 2012 – Documentário)

Os sertões (Euclides da Cunha, 1902 – Livro)

Page one: Inside the New York Times (Andrew Rossi, 2011 – Documentário)

Músicas:

 

*A música de abertura “Fake News Remix – Donald Trump vs. The Mainstream Media”, de Socialist Mop, não está disponível para reprodução no Spotfy, mas pode ser ouvida aqui: https://www.youtube.com/watch?v=8kkUzU9OiDI

Referências

BARBOSA, Marialva Carlos. História cultural da imprensa: Brasil, 1900-2000. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

CARR, Edward Hallet. Que é história? Conferências George Macaulay Trevelyan proferidas por E. H. Carr na Universidade de Cambridge, janeiro-março de 1961; tradução de Lúcia Maurício de Alverga, revisão técnica de Maria Yedda Linhares. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

CUNHA, Euclides. Os sertões [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2010. Available from SciELO Books (http://books.scielo.org). Disponível em: http://books.scielo.org/id/tw4bm/pdf/cunha-9788579820076.pdf

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Petrópolis, Vozes, 1999.

DONALD, Brooke. “Stanford researchers find students have trouble judging the credibility of information online”. 22/11/2016. Disponível em: https://ed.stanford.edu/news/stanford-researchers-find-students-have-trouble-judging-credibility-information-online

FAKE NEWS WASN’T THE BIGGEST MEDIA PROBLEM OF 2016. Produção do canal Vox. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=vdsj-PIqR0g

FONTANA, Josep. A história dos homens. trad. Heloisa Jochins Reichel e Marcelo Fernando Da Costa, Bauru, SP: Edusc, 2004.

HARRIS, Tristan. “How Technology is Hijacking Your Mind”. Disponível em: https://medium.com/thrive-global/how-technology-hijacks-peoples-minds-from-a-magician-and-google-s-design-ethicist-56d62ef5edf3

HOHLFELDT, Antonio; MARTINO, Luiz C. et FRANÇA, Vera Veiga (Org.). Teorias da comunicação – Conceitos, escolas e tendências. Petrópolis: Vozes, 2001.

JENKINS, Keith. A História repensada. São Paulo: Contexto, 2001.

LENE, Hérica. O “fato jornalístico” como conceito crucial no jornalismo e suas imbricações como “fato histórico” e “fato social”. Revista Ecopós, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, 2014. https://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos/article/view/1248/pdf_27

MARINONI, Bruno; INTERVOZES – COLETIVO BRASIL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL. Análise Nº 13/2015 – Concentração dos meios de comunicação de massa e o desafio da democratização da mídia no Brasil. São Paulo: Friedrich-Ebert-Stiftung (FES) Brasil, 2015. Disponível em: http://intervozes.org.br/wp-content/uploads/2016/02/Projeto-FES-Artigo-concentracao-meio.pdf

McCOMBS, Maxwell. A Teoria da Agenda: a mídia e a opinião pública. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

RIBEIRO, Ana Paula Goulart. Imprensa e história no Rio de Janeiro dos anos 1950. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.

SODRÉ, Muniz. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

SNYDER, Timothy. Sobre a tirania. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

TEDESCO, M. T. V. A.. “Mídia, Língua, Cultura e Ideologia”. In: VALENTI, André. (Org.). Língua Portuguesa e identidade: marcas culturais. Rio de Janeiro: Kaetés, 2007, p. 180-185. https://files.acrobat.com/a/preview/90a784ff-6a0b-437e-935b-3220073110c7

TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo: porque as notícias são como são. Florianópolis: Insular, 2004.

3 comentários

  1. Que programa maravilhoso, adorei a trilha sonora e as indicações de documentários.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s